Notícias e eventos

Digitalizado, acervo arquivístico do Pipiripau será disponibilizado para consulta no Museu

Carla Pedrosa

Texto publicado no Boletim UFMG do dia 24/04/2017


Seu Raimundo dedicou a maior parte de sua vida à construção do presépio

Além de seus personagens, cenas e objetos, o acervo documental do Presépio do Pipiripau também foi restaurado. O trabalho, idealizado em 2015 pela bibliotecária Laibe Batista, foi concluído neste mês, em parceria com o Centro de Museologia e Conservação do Museu de História Natural e Jardim Botânico (MHNJB) da UFMG.

Entre outros itens, a coleção é composta de jornais, livros, catálogos, correspondências, fotografias, diplomas e medalhas recebidas pelo fundador do presépio, Raimundo Machado Azeredo. "O acervo documental do presépio se confunde com o do próprio criador", comenta Laibe Batista. O material foi digitalizado em DVDs, que serão disponibilizados, em breve, para consulta na Biblioteca do Museu, onde o presépio está instalado.

Nascido em Matozinhos (Minas Gerais), em 1894, Raimundo se mudou aos quatro anos com a família para Belo Horizonte. Em 1906, começou a montar, em uma caixa de sapatos, o presépio mais tradicional da cidade, que leva o nome da região, conhecida à época como Pipiripau, que hoje abrange os bairros Sagrada Família, Floresta e Horto.

O conservador e restaurador Mário Sousa Filho orientou o processo de restauração do acervo documental do presépio. "Realizar esse trabalho possibilitou o envolvimento com a memória da cidade de Belo Horizonte, que passou por rápidas transformações vislumbradas por um cidadão simples, do povo, apaixonado pelo movimento, que o impulsionou na empreitada pela consecução de sua obra-prima", analisa Sousa.

Um brinde internacional ao conhecimento

Para celebrar o Dia Mundial do Livro (23 de abril), nada melhor do que começar a semana com uma boa dose de literatura.

Confira as dicas dos leitores do Sistema de Bibliotecas da UFMG nas edições do programa "No Ritmo da Lombada: literatura melodia e afeto": https://www.youtube.com/user/UFMGBiblioteca

Todas as obras indicadas estão disponíveis nas nossas bibliotecas! Veja no catálogo on-line: https://catalogobiblioteca.ufmg.br/pergamum/biblioteca/

 
 

Faculdade de Direito da UFMG recebe juiz da Corte Internacional de Justiça

Dando continuidade às comemorações dos 125 anos da Faculdade de Direito da UFMG, o projeto “Direito a Prosa Verso Poesia & Cia”receberá, no dia 25 de abril, o juiz Antônio Augusto Cançado Trindade. A palestra sobre sua trajetória será proferida às 19h, no Auditório Máximo Alberto Deodato.

Atualmente juiz da Corte Internacional de Justiça, Antônio Cançado graduou-se em Direito pela UFMG em 1969 e concluiu mestrado e doutorado na Universidade de Cambridge na década de 70. Foi consultor jurídico do Ministério das Relações Exteriores e juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos. Em 2009, foi eleito juiz da Corte Internacional de Justiça, com o maior número de votos recebidos por um magistrado para integrar a Corte.

Além da palestra do juiz Antônio Cançado, o projeto “Direito a Prosa Verso Poesia & Cia”, da Biblioteca da Faculdade de Direito, homenageou o cartunista Ziraldo em 2016. Este ano, realizou uma mesa de discussão sobre a política e os trabalhos de organização dos arquivos da Universidade.

O objetivo do projeto é dar destaque às produções da comunidade acadêmica e de convidados, por meio de encontros literários, palestras e outros eventos. Para mais informações, entre em contato com Andrea Brandão, coordenadora da Biblioteca da Faculdade de Direito, pelo telefone (31)3409-8661.

Minissimpósio aborda realismos e memória a partir de obras literárias africanas e afro-brasileiras

“Realismos, deslocamentos e memória” é o tema do missimpósio que acontecerá no dia 05 de maio, na PUC Minas Coração Eucarístico, visando aprofundar as reflexões sobre as diferentes vertentes da estética realista.

Em sua terceira edição, o evento privilegiará o diálogo entre a literatura e outras artes de feições realistas, além dos estudos sobre “deslocamentos e memória”, a partir de obras das literaturas africanas de língua portuguesa e afro-brasileiras.

Organizado pelo Grupo de Estudos Estéticas Diaspóricas (GEED), do Programa de Pós-graduação em Letras da PUC Minas, o minissimpósio acontecerá das 14h às 21h, no auditório 2 do prédio 5 da PUC Coração Eucarístico.

Joomla templates by a4joomla